Acordo para o setor do agronegócio entre EUA e China pode impactar MS

Um possível acordo entre Estados Unidos e China para o setor do agronegócio tem preocupado o governo federal.

0
410

Midiamax

Um possível acordo entre Estados Unidos e China para o setor do agronegócio tem preocupado o governo federal. De acordo com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina (DEM) esse movimento pode causar prejuízo para o setor brasileiros, principalmente Mato Grosso do Sul, que é um dos principais exportadores para o país asiático.

A informação foi passada durante entrevista coletiva na Dinapec (Dinâmica Agropecuária), realizada na Embrapa – Gado de Corte, em Campo Grande. “Chegou a informação de que eles estão entrando em um acordo nos produtos do agronegócio e isso pode ter impacto para nós, mas eu acho que o Brasil tem essa vocação para o agronegócio, nós temos um cenário muito bom e temos que trabalhar, abrir mercados”, declarou.

Segundo dados da Carta de Conjuntura do Setor Externo do mês de novembro de 2018, divulgado pela Semagro (Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar) as exportações de Mato Grosso do Sul no acumulado de janeiro a novembro de 2018 atingiram US$ 5,336 bilhões, melhor resultado de toda a série histórica no Estado.

Somente a China foi responsável por 48,67% dos produtos despachados, sendo que entre os grãos ela demanda 80% do exportado por Mato Grosso do Sul, e em relação à carne, só em janeiro de 2018 foram destinadas 22.840 toneladas do produto. A Argentina é o segundo maior “cliente” do Estado.

Para a ministra, caso haja essa queda na exportação por parte dos chineses, o mercado deve reagir melhorando o produto e tornando o custo menor para que outros países se interesse pelos nossos produtos.

“A nossa obrigação no ministério é trabalhar para a manutenção dos mercados já existentes e para a abertura de novos mercados que a gente possa atingir”, finalizou Tereza Cristina.

Segmento de sucesso

Perguntada sobre os próximos passados para o desenvolvimento da pesca, que foi recentemente incorporada ao Mapa (Ministério da Agricultura e Abastecimento), a ministra afirmou que ainda está em fase de reestruturação do setor, mas adiantou que pretende “fazer desse um segmento de sucesso”.