Artigo: Preparação para o vestibular

0
155

Joyce Nogueira

A boa preparação é o fator determinante para o sucesso no vestibular. Porém, é preciso saber o estilo de prova que você terá de fazer, pois cada uma tem a sua especificidade. Por exemplo, quem irá buscar cursos nas áreas humanas, as provas privilegiam questões discursivas, outras destacam disciplinas como a matemática e a física. Identificando isso, fica mais fácil focar em quais assuntos precisarão ser mais estudados.

Mas não é só com a preparação que os candidatos precisam se preocupar. A saúde é também outro fator determinante. Por isso, deve-se intercalar os momentos de estudo com alguns períodos de descanso que pode ser ir ao cinema ou passear com amigos. Pequenas atividades que quebrem um pouco a rotina, mas que estejam previstas dentro de um planejamento de estudos.

Não se esqueça que o medo faz parte da preparação. O grande desafio é aprender a controlá-lo, de forma a não prejudicar suas habilidades cognitivas como, por exemplo, a atenção e a memória.

É nesse período que a família precisa dar apoio e tranquilizar o candidato. Transmita confiança e compreensão, por exemplo, mostrando que conseguindo ou não passar na prova, isso não vai mudar o sentimento e admiração que se tem por ele ou ela.

Alguns dias antes, os pais podem também ir no lugar onde será realizada a prova. Isso ajudará a ficar familiarizado com o trajeto e evitará que se perca do endereço.

Na véspera, é essencial controlar a ansiedade, não pensar demais no exame e tentar relaxar. Não adianta querer estudar tudo ou fazer uma revisão muito cansativa no dia anterior.  Faça uma caminhada leve e não coma coisas pesadas.

E no dia, tente não chegar tarde. Muitos que chegam em cima da hora fazem a prova muito estressados ou nervosos, além daqueles que nem conseguem entrar. Fique tranquilo e tenha uma boa prova.

Luciana Brites

Uma das fundadoras do Instituto NeuroSaber (www.neurosaber.com.br), Luciana Brites é Pedagoga especializada em Educação Especial na área de Deficiência Mental e Psicopedagogia Clínica e Institucional pela Unifil Londrina. Também é especialista em Psicomotricidade pelo Instituto Superior de Educação Ispe – Gae São Paulo, além de coordenadora do Núcleo Abenepi em Londrina.