Comércio de Maracaju não poderá abrir em horário especial de Natal

0
139

Assessoria comerciários

A exemplo de Campo Grande, o comércio de Maracaju também não terá horário especial de Natal porque ainda não fechou a Convenção Coletiva de Trabalho – CCT 2018/19 com o Sindicato dos Empregados no Comércio, como manda a lei. O presidente do sindicato, Clodoaldo Fernandes Alves informou que os empresários estão dificultando as negociações e pior: estão querendo tirar direitos já adquiridos pelos empregados.

Diante desse impasse, o comércio de Maracaju não poderá abrir em horário especial neste mês de dezembro, enquanto não acertar com os trabalhadores. Além do horário especial, o comércio não poderá também funcionar nos feriados normalmente negociados entre as duas partes e até aos sábados à tarde também não poderá abrir.

Clodoaldo Fernandes Alves informou que o principal entrave das negociações é que os empresários que aprovam suas próprias contribuições empresariais, não querem ceder aos sindicatos a negociação da contribuição laboral. Daí o impasse, informa o líder sindical.

O sindicato espera que a comissão patronal use de bom senso e feche a convenção de maneira que os trabalhadores e a entidade que os representam não sejam prejudicados e que tenham boa remuneração pelos serviços prestados e ambientes adequados para o exercício profissional.

CAPITAL – Em Campo Grande, o presidente da Federação dos Empregados no Comércio de Mato Grosso do Sul – Fetracom/MS, Pedro Lima, acompanhou o presidente do SECCG, Idelmar da Mota Lima, aos órgãos de fiscalização do comércio, para pedir que o setor não abra em horário especial enquanto não negociar com os trabalhadores a CCT 2018/19.