Controle de Helicoverpa é debatido durante apresentação de resultados da safrinha

0
191

Considerada nova no cenário brasileiro, a Helicoverpa possui grande potencial de dano e alta capacidade reprodutiva. Ela se alimenta de diversas culturas e, entre elas, está a do milho. Para o combate, o foco é a identificação e controle. Este é um dos assuntos debatidos durante a apresentação dos resultados das pesquisas realizadas pela Fundação MS sobre a safrinha. O circuito de apresentações já passou por Itaporã e Sidrolândia e será levado ainda para outros sete municípios. 

 

O pesquisador da Fundação MS, José Fernando Grigolli, ressalta que está sendo feito um trabalho junto aos produtores rurais de Mato Grosso do Sul para a identificação da praga. “Até o momento, estamos identificando e diferenciando Helicoverpa spp. de Heliothis virescens (a lagarta-da-maçã, praga corriqueira no Brasil). A partir dessa identificação, pode-se traçar o plano de controle de forma mais precisa”, afirma. A distinção das pragas é feita no Laboratório de Controle Biológico da Fundação MS, com o auxílio de lupas.

 

O monitoramento constante das lavouras é outro cuidado que deve ser tomado. Isso porque é mais fácil controlar a praga logo no início de seu aparecimento. “É fundamental controlar pragas de até 7 mm, pois lagartas grandes são de difícil controle. Alguns ingredientes ativos, como Flubendiamide, Espinosina, Tiodicarba, Clorpirifós, Bacillus thuringiensis, Profenofós, Indoxacarbe, entre outros, são mencionados com boa eficiência de controle”, explica o pesquisador.

 

Grigolli enfatiza que já foram observadas Helicoverpa spp. em diversas regiões do Estado. Os municípios de Maracaju e Dourados são alguns exemplos. Porém, o pesquisador afirma que, no momento, a situação é de controle da praga nessas regiões. “Apesar de sua ocorrência em diversas áreas de cultivo, o controle tem sido eficiente, mantendo a população da praga em níveis ainda não preocupantes”, destaca.

 

Algumas dicas importantes foram repassadas aos produtores, técnicos e demais profissionais do campo. O calendário de plantio, por exemplo, deve ser seguido corretamente. Além disso, é essencial o uso adequado de inseticidas. O pesquisador explica que “o nível de controle para essa praga deve ser seguido” e salienta que a recomendação aos produtores é que procurem o responsável técnico de suas lavouras para o uso correto dos inseticidas.

 

OUTRAS PALESTRAS

 

O posicionamento de híbridos de milho para o Estado, manejo do solo, fertilidade, controle de pragas, em especial de Helicoverpa armigera, e doenças de plantas são alguns dos assuntos ministrados durante as apresentações. Também serão abordados resultados de experimentos realizados com milho nos municípios que possuem base de pesquisa da Fundação MS. O pesquisador de fitotecnia milho, André Lourenção, ressalta que esse estudo facilita a escolha do produtor sobre a melhor tecnologia a ser usada nas lavouras.

 

Os produtores também terão acesso a resultados de pesquisas sobre alternativas de culturas de inverno, por meio de palestra ministrada pelo pesquisador Carlos Pitol. “O objetivo é lembrar para o produtor rural as opções de inverno, que ele pode usar para diversificar a cultura do milho”, comenta Pitol. Ele afirma que, entre as vantagens das culturas de inverno, estão as de melhoria no solo.

 

SERVIÇO

 

As apresentações dos resultados de pesquisas da safrinha serão realizadas em outros sete municípios. Na próxima semana, três municípios receberão as palestras: Rio Brilhante, Dourados e São Gabriel do Oeste. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (67) 3454-2631. Confira abaixo as datas:

 

CALENDÁRIO

 

Rio Brilhante

Data: 11/11/2013

Local: Sindicato Rural

 

Dourados

Data: 12/11/2013

Local: Sindicato Rural

 

São Gabriel do Oeste

Data: 13/11/2013

Local: Sindicato Rural

 

Maracaju

Data: 21/11/2013

Local: Câmara Municipal

 

Naviraí

Data: 22/11/2013

Local: Copasul

 

Campo Grande

Data: 25/11/2013

Local: Famasul

 

Amambai

Data: 26/11/2013

Local: Sindicato Rural

 

 

PROGRAMAÇÃO

7h às 7h30: Inscrições e Abertura

7h30 às 8h15: Adubação de cobertura e fixação biológica de N em milho safrinha – Eng. Agr. MSc. Douglas Gitti (Pesquisador de Manejo e Fertilidade do Solo da Fundação MS).

8h15 às 9h: Resultados de milho safrinha 2013 e sugestões para safrinha 2014 – Eng. Agr. Dr André Luis F. Lourenção (Pesquisador de Fitotecnia Milho da Fundação MS).

9h às 9h15: Intervalo

9h15 às 10h: Controle de doenças em milho safrinha; Identificação e controle de Helicoverpa armigera – Eng. Agr. MSc. José Fernando Jurca Grigolli (Pesquisador de Fitotecnia da Fundação MS).

10h às 10h30: Alternativas de culturas de inverno – Eng. Agr. Carlos Pitol (Pesquisador de Fitotecnia Soja da Fundação MS).