Em Brasília, Reinaldo trata de parcerias com Paraguai e fala em ampliar setor industrial

0
148

O governador eleito Reinaldo Azambuja (PSDB) disse nesta terça-feira, em Brasília, que quer firmar parcerias estratégicas com o Paraguai para estabelecer uma agenda positiva em que o foco será o desenvolvimento da região. O tucano também conversou com executivos da empresa ADM (Archer Daniels Midland Company) e garantiu que vai incrementar o setor industrial em Mato Grosso do Sul.

 

No primeiro encontro, o embaixador do Paraguai, Manuel Cáceres, e o governador eleito discutiram a necessidade de colocar em prática uma agenda positiva que proporcione o desenvolvimento da região. Ambos concordam que tanto o Brasil quanto o Paraguai precisam desta parceria para desenvolver a economia, como também a ampliação de serviços comuns.

 

“Temos muitos projetos com o Mato Grosso do Sul. Duas pontes sobre o Rio Apa, projetos de ferrovias e cadeias de produção”, afirmou Cáceres.

 

Um dos temas abordados foi a questão da Hidrovia Paraguai/Paraná e a utilização do Porto de Concepción para o escoamento da produção do Estado. Hoje, um imbróglio na justiça impede a utilização do porto por parte do Estado. “O uso desta hidrovia dará mais acesso ao mercado internacional tanto para o Paraguai como para o Brasil. Em Concepción temos um depósito à disposição do Brasil que pode ser usado por Mato Grosso do Sul”, explicou o embaixador.

 

Em relação à fronteira entre as cidades de Ponta Porã e Pedro Juan Caballero, o diplomata ressaltou a possibilidade de instalar um polo de atendimento à saúde que, segundo ele, beneficiaria todos daquela região. “São muitos assuntos em comum e muitas peculiaridades, só vejo avanço nesta parceria”, ponderou.

 

O embaixador disse que Mato Grosso do Sul será o primeiro estado qye ele vai visitar no próximo ano. A colônia paraguaia tem cerca de 100 mil habitantes no Estado.

 

ADM

Em reunião com o governador eleito, André Miranda (Diretor Sênior de Relações Governamentais ADM América do Sul) e Roberto Ciciliano (Diretor de Negócios Food & Wellness) falaram da necessidade de ampliar a cadeia produtiva das indústrias de Mato Grosso do Sul.

 

Os executivos explicaram, por exemplo, que a ADM – que produz proteína da soja – tem que mandar sua produção para outros Estados onde estão instaladas empresas que utilizam seus insumos para a fabricação de outros produtos, principalmente no ramo alimentício.

 

A indagação da diretoria da empresa foi quanto aos investimentos que o novo governador pretende fazer para atrair novas empresas que, segundo eles, ampliariam e diversificariam o setor industrial.

 

Reinaldo garantiu que vai trabalhar um modelo de desenvolvimento em que o objetivo será trazer empresas que formem um elo de produção local entre as indústrias instaladas no Estado. “Mato Grosso do Sul terá uma política de incentivo para essa cadeia produtiva, assim como outras. Não queremos ser apenas exportadores de insumos”, explicou o tucano.

A ADM iniciou a construção de um complexo de produção de proteínas da soja em Campo Grande com investimento aproximado de 250 milhões de dólares. Cerca de 80 colaboradores atuarão no novo complexo quando ele for concluído.