Nota de Esclarecimento sobre a greve nos Correios Direção dos Correios não apresenta proposta e greve dos trabalhadores continua

0
280

Assessoria de Comunicação

Em MS já são 42 municípios afetados pela greve desde a semana passada

 Foi divulgado na imprensa local de que os trabalhadores em greve da ECT (Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos) receberam uma proposta da empresa, que inclui um reajuste de 3% nos salários. Ocorre que existem duas federações nacionais dos trabalhadores dos Correios, sendo que a maioria é filiada na FENTECT. Além do sindicato de MS mais 30 sindicatos são representados na negociação com a direção da empresa pelo Comando de Negociação da FENTECT, que protocolou a Pauta de Reivindicações do Acordo Coletivo no dia 25 de julho. Até a presente data, e após expirado o prazo de validade do acordo anterior, os sindicatos filiados à FENTECT não receberam nenhuma proposta da empresa para o acordo, um dos motivos, inclusive, para a deflagração da greve nas bases dos 31 sindicatos filiados à essa federação.

A greve continua em MS, assim como nos demais estados, registrando-se em nível nacional o crescimento de unidades dos correios que são atingidos pela greve. Para esta semana está prevista a realização de assembleias nos poucos estados que ainda não aderiram e é bem provável que o número de estados em greve aumente.

De acordo com levantamento do sindicato, em MS a greve já atingiu, com a adesão nesta segunda de trabalhadores de Mundo Novo e Douradina, 42 municípios do estado, que são: Água Clara, Amambai, Anastácio, Aquidauana, Batayporã, Bela Vista, Caarapó, Camapuã, Campo Grande, Coronel Sapucaia, Corumbá, Costa Rica, Coxim, Dourados, Douradina, Fátima do Sul, Glória de Dourados, Guia Lopes, Iguatemi, Inocência, Itaporã, Itaquiraí, Ivinhema, Jardim, Maracaju, Mundo Novo, Naviraí, Nova Alvorada, Nova Andradina, Paranhos, Ponta Porã, Rio Brilhante, Rio Verde, Rochedo, São Gabriel, Selvíria, Sete Quedas, Sonora, Tacuru, Terenos, Três Lagoas e Laguna Carapã.

Parte desses municípios, cerca de 20, estão com o atendimento e distribuição totalmente parados e com as agências fechadas, enquanto nos demais a paralisação é parcial, mas comprometendo em maior ou menor grau tanto o atendimento quanto a distribuição. Algumas agências do interior estão abertas precariamente e com trabalhadores deslocados de outros municípios.

Os trabalhadores dos Correios reivindicam reajuste salarial de 8% e manutenção das cláusulas constantes no atual acordo,referentes ao Plano de Saúde, Ticket-Refeição, garantias à mulher, e outras questões constantes na pauta de reivindicações.

Veja abaixo a nota da FENTECT (Federação Nacional dos Trabalhadores nos Correios)

NOTA OFICIAL – FENTECT não reconhece proposta da ECT à outra federação

A FENTECT informa que, apesar da suposta proposta apresentada pela ECT à Findect, que está sendo divulgada nas redes sociais, a federação legítima dos trabalhadores ainda não recebeu nada formalizado por parte da empresa. A FENTECT, portanto, aguarda audiência de mediação no Tribunal Superior do Trabalho (TST), que poderá ser realizada na próxima segunda-feira (25) ou terça-feira (26), a confirmar.

Além da falta de comunicação formal por parte dos gestores da estatal, vale destacar que a proposta genérica à outra federação não possui minuta e valor legal. Ainda, é de causar estranheza à categoria que os Correios apresentem uma proposta à Findect, federação não regularizada oficialmente no Ministério do Trabalho.

O Comando Nacional de Mobilização e Negociação da FENTECT (CNMN-FENTECT), então, orienta os sindicatos a fortalecerem a greve a partir desta segunda-feira, dia 25 de setembro, com mais mobilizações nas bases, principalmente, dos Estados do Rio de Janeiro e de São Paulo. Aos trabalhadores, a federação alerta que é preciso estarem preparados para vir a Brasília, na próxima semana, para um ato nacional da categoria, em protesto contra a privatização dos Correios.