Presidente do Sindicato Rural visita Fazenda São João para saber mais sobre as raças Nelore e Sindi

0
369

A raça Nelore passou por um intenso melhoramento genético no Brasil, sendo quase que exclusivamente para a produção de carne, embora na sua origem, tenha sido utilizada para a exploração de leite. Já a raça Sindi, foi e continua sendo muito original na região chamada de Kohistan, na parte norte da província de Sind, no atual Paquistão.

Os animas dessa raça são pequenos, de bela aparência, adequadas para regiões de poucos recursos alimentares e possui uma linhagem extremamente leiteira e com ótimo desempenho em abates técnicos.

O Presidente do Sindicato Rural, Marco Garcia, esteve na fazenda São João para conversar com o proprietário Angelo Tibery e saber mais sobre o desenvolvimento dessas raças na região de Três Lagoas.

Tibery conta que foi na Índia para conhecer de perto e sanar todas as dúvidas sobre as raças. “Tivemos uma certa dificuldade quando chegamos na Índia. Conseguimos comprar as 20 vacas e o projeto se iniciou. Era um sonho do meu pai de importar e 10 anos depois, nós estamos aqui realizando”, contou Angelo Tibery.

O pecuarista acrescenta e diz que o sucesso foi trazer este melhoramento genético para a região.“Pensamos em animais que estavam dentro do melhoramento que o país está fazendo e quisemos acompanhar isso com sangue fresco e animais com bom acabamento, bom revestimento e muita musculatura.”

Raça Sindi

Ao contrário da raça Nelore a Sindi não apresenta grande conhecimento na região. A decisão de criar esta raça começou ao perceber o seu desenvolvimento, já que o animal tem muito a acrescentar . “Estamos vendo que as vacas, três meses depois de parirem, já estão gestantes novamente. Isso é um fator de produtividade excelente. Outras características evidentes são os pelos sedosos e animas saudáveis”, explica o produtor.