Reinaldo assume governo, reduz à metade o próprio salário e determina redução de cargos em secretarias

0
147

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) foi empossado na tarde dessa quinta-feira (1°/1) e ao assumir governo anunciou redução do próprio salário à metade. Mantendo a linha austera, Reinaldo também determinou que cada secretaria deverá reduzir em 20% cargos em comissão.

 

Reinaldo anunciou ainda que nesta sexta-feira já assinaria diversos decretos de contenções de despesas governamentais e medidas de redução de custeio da máquina pública. Quanto às secretarias, elas terão um prazo de 90 dias para se adequar e reduzir em no mínimo 20% o número de cargos comissionados.

 

Referente à redução do próprio salário, Reinaldo disse que não pediu que houvesse aumento. “O que me motiva a ser governador não é o salário, mas é a vontade de trabalhar pelo Mato Grosso do Sul”, justificou.

 

“E principalmente, vamos chamar todos os contratados e terceirizados para revisão de valores contratuais com o governo do Estado. E aquilo que for supérfluo nós vamos cortar, até para dar conta de fazer o equilíbrio financeiro necessário”, disse Reinaldo.

 

Pacote de bondades

 

Algumas das últimas medidas do governo anterior surpreenderam Reinaldo, que chegou a falar em “pacote de bondades no apagar das luzes do atual governo”.

 

Uma das surpresas, segundo Reinaldo, foi o governo anterior ter optado por comprar os móveis para o campus da UEMS de Campo Grande, sendo que a obra ainda não foi concluída, deixando de comprar os kits escolares e uniformes, visto que o ano letivo se iniciará em breve.

 

O governo anterior também optou por fazer repasse extra ao Ministério Público e Tribunal de Justiça, deixando de atender demandas que seriam mais importantes para a população, exemplificou Reinaldo, para quem o repasse extra não seria necessário, até porque os poderes já estão aquinhoados com o aumento do duodécimo.

 

Outra surpresa foi o impacto da folha de pagamento de dezembro dos servidores. Comparada a folha de pagamento de dezembro com a de novembro, houve um incremento de R$ 22,7 milhões, tirando um terço de férias e as rescisões dos comissionados que foram exonerados.

 

Mutirão da saúde

 

Reinaldo vem anunciando que saúde seria prioridade do seu governo desde o período pré-campanha, ainda no projeto Pensando MS, quando o tópico foi apontado como o maior problema da população sul-mato-grossense. Na posse como governador, nessa quinta, Reinaldo reiterou que sua primeira decisão à frente do governo será a organização dos mutirões de saúde.

 

“Queremos e vamos acabar de vez, imediatamente, com as filas da vergonha. Vamos fazer os mutirões em todo o estado e de forma imediata, tratando a ação como emergência pública, porque a vida das pessoas simplesmente não pode esperar pela boa vontade dos governos”, disse ele.

 

Para Campo Grande, algumas medidas prioritárias do setor serão a conclusão dos hospitais do trauma e do câncer e a implantação do serviço de ortopedia no Hospital Regional.

 

Auditoria do Aquário

 

Reinaldo reforçou que determinará uma auditoria da obra do Aquário do Pantanal. O montante de R$ 34 milhões aprovados pela Assembleia Legislativa para conclusão do aquário só será gasto, explicou Reinaldo, após o resultado da auditoria.

 

O governador Reinaldo garantiu que a obra não ficará inacabada, “mas nós precisamos da segurança jurídica necessária”. Ele esclareceu ainda que é uma obra que começou com o valor de R$ 87 milhões, hoje passa dos R$ 200 milhões e ainda está inacabada. “Isso nos preocupa muito”, disse ainda.

 

Posse do secretariado

 

Após tomar posse como governador, Reinaldo empossou o seu secretariado em solenidade no Centro de Convenções Arquiteto Rubens Gil de Camillo. A vice-governadora Rose Modesto foi empossada secretária de Estado de Direitos Humanos, Inclusão e Assistência Social.

 

Ainda não foi definido o nome do titular da Secretaria de Estado da Produção e Agricultura Familiar. Quanto à Secretaria da Habitação, não pôde comparecer para a posse Maria do Carmo Avessani Lopes.

Adalberto Neves Miranda assume a função de Procurador-Geral do Estado.

Veja a seguir os nomes dos demais secretários e respectivas pastas:

– Cultura: Athayde Nery;

– Administração e Desburocratização: Carlos Alberto de Assis;

– Infraestrutura: Marcelo Miglioli;

– Governo e Gestão Estratégica: Eduardo Riedel;

–  Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico: Jaime Verruck;

– Fazenda: Marcio Monteiro;

– Educação: Maria Cecília Amêndola da Motta;

– Saúde: Nelson Tavares;

– Casa Civil: Sérgio de Paula;

– Justiça: Sílvio Maluf.