Reinaldo Azambuja retoma e conclui obra que representa desenvolvimento para Maracaju

0
966

Paulo Yafusso, Sílvio Andrade e Bruno Chaves, Subsecretaria de Comunicação (Subcom)

Fotos: Chico Ribeiro

Campo Grande (MS) – Uma obra que há 15 anos era um sonho para os assentados e produtores rurais de Maracaju e com o tempo passou a ser fundamental para a economia da região, finalmente foi concluída e entregue neste sábado (27.1) pelo governador Reinaldo Azambuja. É a pavimentação dos 49,6 km da MS-460, uma das obras rodoviárias mais emblemáticas da administração, que dá acesso ao distrito de Água Fria e interliga a região ao entroncamento com as rodovias BR-060 e a MS-162. Investimento de R$ 65,2 milhões.

“Essa é mais uma reivindicação antiga da comunidade que estava há 15 anos parada e é mais uma obra inacabada que a nossa gestão entrega para a população, por saber da sua importância não só para melhorar as condições de vida de quem vive e necessita dessa rodovia, mas também pela sua importância para a economia da região”, destacou o governador Reinaldo Azambuja.

A pavimentação da MS-460 beneficiará diretamente usinas, produtores de soja e milho e as 222 famílias de pequenos agricultores do Assentamento Santa Guilhermina. A produção de hortifrutigranjeiros, mandioca e feijão do projeto de colonização agrária é destinada à merenda escolar da rede municipal de ensino e também abastece a Ceasa, em Campo Grande. O asfalto mudará a realidade de uma região que ficava isolada em época de chuvas.

A chegada da infraestrutura em Água Fria reduzirá em quase 80 km a distância que os caminhões percorrem para escoar a produção do assentamento até Maracaju, em época de chuvas. “Quando chove, não tinha como sair a produção pela MS-460, devido aos atoleiros, e ficávamos praticamente isolados”, afirma o presidente da associação dos parceleiros, Ovanio José Costa. “A gente usava um desvio de 170 km para chegar à cidade.”

A pavimentação da MS-460 encurta a distância para o acesso a municípios na região do Pantanal

Alegria de todos

Para constatar a importância da pavimentação da MS-460 basta percorrer a estrada. Na beira da rodovia estadual, a 40 quilômetros de Maracaju, as placas apontam a entrada para diversas fazendas. Mas o caminho também leva aos assentamentos Valinhos, Santa Guilhermina e Canta Galo, além da comunidade quilombola São Miguel.

Fidel Ibanez: sem o asfalto, em época de chuva crianças não podiam ir à escola

Todas as pessoas que vivem nessa região foram beneficiadas pela obra. Quem garante é o motorista Fidel Castro Ibanez, de 58 anos, que vive no Assentamento Valinhos. “Moro aqui há 15 anos e posso afirmar que o asfalto é de grande importância para todos os assentamentos. Puxo ônibus escolar já tem 10 anos e sei como era difícil, muitas vezes as crianças não assistiam aula por causa das condições da estrada e a freqüência delas na escola caia muito. Sou testemunha da tormenta que era pra sair daqui. Por isso só temos que agradecer essa obra do governador Reinaldo Azambuja que trouxe benefícios para os alunos, que podem ir pra escola; para os pequenos produtores, com a chegada de insumos e saída da produção; para os grandes agricultores, no escoamento da lavoura e pra todo mundo que vive aqui”, falou. Fidel ainda contou que a nova estrada encurtou caminho de Maracaju até a região do Pantanal – Aquidauana, Miranda e Corumbá.

O casal Sebastião e Rosilene fala da alegria de não ter mais que conviver com a lama e a poeira

O casal de funcionários da Fazenda Refúgio, Sebastião Rolon Alves, 33, e Rosilene Dill da Silva, 43, vivem há dois anos na região e acompanhou a obra de pavimentação da MS-460 desde o início. “Todo mundo esperava muito ansioso por essa estrada pronta”, conta Sebastião.

“De primeira, na época da chuva, era muito ruim o acesso, atolava muito e era um sacrifício pra quem tinha que sair com a lavoura. Na época da seca passavam caminhões e subia muita poeira, era comum ter acidente de carros que não conseguiam enxergar por causa da poeira, principalmente na rotatória que vai pra usina”, lembra. “Antes do asfalto demorávamos cerca de duas horas pra chegar até Maracaju. Agora conseguimos fazer em meia hora”, afirma Rosilene.

A conclusão da obra é comemorada também pelos produtores rurais que dependem dessa rodovia. “Vai auxiliar muito no escoamento da produção, há muito tempo que tínhamos essa necessidade, que é uma região grande produtora de grãos e de pecuária e tem a usina, então é extremamente importante esse asfalto da Água Fria”, comenta o presidente do Sindicato Rural de Maracaju, Christiano Binz. “Sem contar que é uma rota alternativa para quem está passando por Maracaju para quem está indo para a região do Pantanal, Nioaque, Aquidauana, Miranda”, completa.

Para o secretário estadual de Infraestrutura, Marcelo Miglioli, a pavimentação da rodovia é um dos grandes empreendimentos rodoviários do governo. “Água Fria é uma região em franca expansão agrícola e enfrentava atoleiros e até o isolamento em época de chuvas”, citou. “É uma obra tecnicamente necessária, o governo não faz politicagem para beneficiar este ou aquele; trabalha com seriedade para atender as demandas da cidade e do campo.”