Saúde amplia vacinação contra gripe para crianças de até 5 anos

0
202

O Ministério da Saúde anunciou nesta quarta-feira (2) que vai ampliar o público-alvo da vacinação contra a gripe neste ano, incluindo crianças menores de 5 anos. Até 2013, a vacina era aplicada gratuitamente apenas em crianças de 6 meses a menores de 2 anos. A meta do ministério é vacinar 49,6 milhões de pessoas durante esta 16ª campanha de vacinação, que será realizada entre os dias 22 de abril e 9 de maio.

 

O número é 27% maior do que o que se pretendia alcançar no ano passado ( 31,3 milhões). A meta deste ano é atingir 80% dos grupos prioritários para vacinação. Ao todo, foram disponibilizadas 53,5 milhões de doses da vacina.

Além da inclusão de crianças menores de 5 anos de idade, o aumento da meta se deve à atualização no número de pessoas dos outros sete grupos prioritários: gestantes, idosos a partir de 60 anos, indígenas, presidiários, profissionais da saúde, doentes crônicos e mulheres até 45 dias após o parto.

 

De acordo com o Ministério da Saúde, a faixa etária até menores de 5 anos representou 26% das internações de 2013, o que levou à ampliação da faixa etária contemplada. Além disso, há o risco de crianças passarem gripe para outros grupos de risco como, por exemplo, pessoas com mais de 60 anos.

 

Para o ministro da Saúde, Arthur Chioro, estender a vacinação para as crianças entre dois e menores de cinco anos é importante porque deve sanar um dos grupos que mais sofrem com gripe. “Essa é a maior novidade da nossa campanha de vacinação deste ano e visa diminuir os casos de gripe”, afirma.

 

De acordo com o Ministério da Saúde, foram disponibilizadas vacinas contra três tipos de influenza: A (H1N1), A (H3N2) e B. O ministério alerta que as vacinas para o vírus da influenza dos tipos H3N2 e B são um pouco diferentes das distribuídas no ano passado, pois os vírus sofrem mutações.

 

Para realizar a campanha de vacinação, 65 mil postos de saúde e 240 mil profissionais serão mobilizados. Também serão disponibilizados 27 mil veículos terrestres, marítimos e fluviais para a campanha.

 

Vacina não causa gripe


Durante a apresentação da campanha de vacinação, Chioro reiterou que a vacina disponibilizada não tem o efeito colateral de causar gripe. “A vacina é segura. Não produz gripe. As pessoas podem ter outros tipos de gripe porque a vacina é dedicada somente a esses três”, diz.

 

De acordo com o ministério, o objetivo da campanha não é acabar com a influenza. A intenção é diminuir as complicações que surgem em consequência da gripe. A data da campanha é pensada justamente pelo caráter preventivo: “Escolhemos o período anterior ao inverno porque a vacina demora umas duas semanas para surtir efeito”, aponta Chioro.

 

No ano passado, foram registradas 764 mortes em decorrência da gripe no Brasil. Porém, o ministro aponta que o número deve ser maior: “A gripe causou morte em conjunto com outras doenças como, por exemplo, as cardíacas”, diz.

 

“Por isso é importante que doentes crônicos como diabéticos, cardíacos e hipertensos tomem a vacina.

Chamamos atenção para estas pessoas, para que se prepararem solicitando a prescrição da vacina com seu médico com uma declaração de que são portadores de doença crônica”, alerta o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa.