Sindicato Rural e Fundação Meridional realizaram Fórum Tecnológico da Soja em Maracaju

0
49

Elder Oliveira

Com o objetivo de levar informações atualizadas sobre o manejo da soja, bem como apresentar as novidades do programa de melhoramento genético desenvolvido pela parceria, o Sindicato Rural de Maracaju e a Fundação Meridional promoveu em conjunto com a Embrapa, no dia 7 de junho durante a 49ª Exposição Agropecuáriao, o Fórum Tecnológico da Soja. Além de Maracaju/MS, o evento foi realizado em 5 estados: Paraná (nas cidades de Campo Mourão, Londrina, Cascavel e Ponta Grossa), Santa Catarina (em Abelardo Luz), Goiás (em Rio Verde), São Paulo (na cidade de Orlândia) e Mato Grosso do Sul (na cidade de Maracaju).

O Diretor-Presidente da Fundação Meridional, Raphael Rodrigues Fróes, ressalta que o evento foi uma ótima oportunidade para agricultores e técnicos terem acesso no que há de mais novo na pesquisa agropecuária, além de avaliarem a superioridade genética e produtiva das cultivares BRS. “Entendemos que o aproveitamento foi excelente. A Fundação Meridional fez o elo entre a pesquisa e o setor produtivo”, definiu Fróes.

A programação desta 2ª edição incluiu dados recentes de pesquisas nas áreas de microbiologia do solo, fitopatologia, qualidade de sementes, genética e melhoramento, colaborando para que os produtores obtenham melhores resultados, a partir do uso de tecnologia de ponta. Um dos temas apresentados foram os benefícios da coinoculação na cultura da soja, demonstrando as vantagens da aplicação de nitrogênio nas lavouras. A inoculação pode representar um ganho médio de 8%, enquanto a coinoculação pode render até 30% a mais em solos arenosos. A pesquisa salienta que a fixação biológica de nitrogênio no solo é um dos pilares da sustentabilidade, sendo que o Brasil é hoje um dos destaques desta técnica, que resulta em alto rendimento, com baixo investimento.

Outro assunto discutido no Fórum foi a resistência da ferrugem asiática aos fungicidas. Para se ter uma dimensão do que a ferrugem representa, dados de pesquisas mostram que a doença já provocou prejuízos da ordem de US$ 23 bilhões, considerando perdas da lavoura e investimentos no controle, configurando um grave problema para a agricultura mundial. Como medidas para o controle, se destacam a necessidade de manejo consorciado ao controle químico, monitoramento das lavouras e o respeito às medidas legislativas (vazio sanitário).

O evento também destacou a importância da qualidade fisiológica da semente e seus reflexos na produtividade. Pesquisadores da Embrapa apresentaram os excelentes benefícios em utilizar sementes de alta qualidade, comparando o desempenho produtivo de sementes com alto e baixo vigor.

A Fundação Meridional apresentou aos participantes o grandioso trabalho desenvolvido pela Embrapa em seus diversos programas de melhoramento genético de soja, gerando cultivares geneticamente superiores e com capacidade produtiva acima de 5.000 kg/ha. Diante deste cenário, produtores e técnicos tiveram acesso as variedades Top 5000, que reúnem sanidade, precocidade, ampla adaptação e elevado potencial produtivo, com destaque para as cultivares RR (BRS 388RR, BRS 399RR e BRS 413RR) e IPRO (BRS 1001IPRO, BRS 1003IPRO, BRS 1007IPRO, BRS 1010IPRO e BRS 1074IPRO).