Sistema Fiems dá primeiros passos para robotizar processos e otimizar resultados

0
209

Daniel Pedra

Diretores e gestores do Sistema Fiems foram apresentados, nesta quarta-feira (25/04), a um projeto de RPA (Processo de Automação e Robotização de Processos) para operações administrativas, bancárias, financeiras, jurídicas, recursos humanos, auditorias, dentre outras, que podem ser aplicados nos procedimentos do Sesi, Senai e IEL, tornando-os mais ágeis e assertivos. A Doze Tecnologia, empresa de Brasília (DF) especializada na área, desenvolveu o protótipo de um robô para o Sesi como forma de demonstrar o ganho e otimização das atividades da instituição e este e outros cases foram apresentados pelo diretor de negócios e relações institucionais Wander Neto.

Para o diretor-corporativo do Sistema Fiems, Cláudio Jacinto Alves, o momento exige uma mudança de cultura, com mais velocidade na entrega de resultados, eficácia e integração de processos. “A robotização é um processo que não tem volta. Com o fim da contribuição sindical obrigatória o Sistema S como um todo precisa se reinventar, e estamos dando os primeiros passos para que isso aconteça. Precisamos evoluir, buscar fazer mais com menos, e otimizar processos para alcançar o nosso foco, que é atender a indústria”, avaliou sobre a apresentação da tecnologia.

“As soluções de robotização podem ser aplicadas a centenas de processos realizados, desta os colaboradores deixam de perder tempo com atividades repetitivas, e ficam realmente focados em atividades realmente produtivas”, acrescentou Cláudio Alves. No teste aplicado ao Sesi, por exemplo, o robô foi previamente programado para executar uma tarefa na qual o colaborador levava três dias executar, e obteve o mesmo resultado com apenas quatro minutos.

Operações mais ágeis

“O processo de robotização é uma inciativa que visa o momento indústria 4.0. Entendemos que o Sistema Indústria enquanto alavancador desta iniciativa deve começar ele próprio a entrar neste momento, com operações mais ágeis, permitindo que nossos colaboradores trabalhem cada vez mais voltados para estratégias que vão impactar diretamente na nossa entrega de soluções para a indústria”, opinou o superintendente do Sesi, Bergson Amarilla.

Para o superintendente do IEL, José Fernando Amaral, em especial a área de desenvolvimento de carreiras da instituição poderá ser beneficiada de imediato com a tecnologia. “A área de estágios, que processa bastante informação devido ao grande número de inscrições e vagas que são atualizadas a todo tempo, demanda um processo estratégico e exige velocidade do controle de informações e de resultados. A apresentação desta plataforma vem em um bom momento e o IEL estará pronto para opera-la”, atestou.

Eficiência

Para o diretor-regional do Senai, Jesner Escandolhero, a robotização já é uma realidade. “O processo de automatização já é considerado pelas grandes corporações mundiais como a nova forma eficiente de trabalho, economia e produtividade, capaz de abrir caminho para que os profissionais possam dedicar seus talentos mais importantes para atividades realmente significativas e de maior valor agregado”, disse.

O diretor da Doze Tecnologia, Wander Neto, explicou que a plataforma pode ser aplicada principalmente em atividades compartilhadas e de operações, ou seja, áreas administrativas, de atendimento ao cliente, entre outras. “Viemos apresentar o que a robotização de processos representa dentro de uma instituição, e todas as suas aplicações possíveis para ganho de produtividade. Muita gente pode interpretar como uma substituição da mão de obra por robôs, mas não se trata disso, é dar mais eficiência às atividades executadas hoje pelas equipes”, salientou.

Apresentação técnica

Depois de apresentar a plataforma de robotização de processos aos diretores do Sistema Fiems, a Doze Tecnologia demonstrou a ferramenta para a área técnica do Sesi, Senai e IEL para que comecem a avaliar e sugerir possíveis aplicações imediatas da tecnologia. Na avaliação da coordenadora da Assessoria de Gestão por Processos da Fiems, Vanessa Diacopulos, a robotização representará um grande ganho de tempo e eficiência dentro do Sistema.

“Já trabalhamos com a automação de processos porque temos plataformas, softwares, e com eles fazemos o mapeamento dos processos via sistema, mas ainda existem algumas dificuldades porque trabalhamos com múltiplas plataformas e, com a robotização, o ganho é conseguir integra-las e atualiza-las em tempo real”, explicou Vanessa Diacopulos. “Acredito que junto com o que o Sistema Fiems já tem de maturidade em automatização de processos, a ferramenta representaria uma mudança muito positiva”, opinou a coordenadora.

Leia mais no site www.fiems.com.br ou pelo link http://www.fiems.com.br/noticias/sistema-fiems-da-primeiros-passos-para-robotizar-processos-e-otimizar-resultados/25926