Maracaju 100 anos
NOTÍCIAS

Decisão do TST pode encerrar hoje greve dos Correios

Trabalhadores dos Correios esperam acordo coletivo favorável às reivindicações da categoria (Foto: Divulgação)

Thalyta Andrade

O TST (Tribunal Superior do Trabalho) julga hoje (8) a partir das 14h30 (horário de Brasília) o dissídio solicitado pela ECT (Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos) que pode definir o fim da greve, que em Dourados começou no dia 18 de setembro, paralisando parte das atividades das quatro agências da cidade (uma delas designada apenas para distribuição). Dependendo da decisão, os trabalhadores em greve podem retornar 100% ao trabalho amanhã (9).

Conforme o diretor sindical dos trabalhadores dos Correios em Dourados, Adriano Firmino Telles, as atividades seguem sendo realizadas dentro do previsto no direito à greve. Na agência Centro, por exemplo, dos 50 atendentes e carteiros, apenas 10 estão trabalhando, de acordo com Telles, que espera um posicionamento favorável do TST com relação às reivindicações dos trabalhadores.

“Esperamos que seja uma decisão justa, que avalie as reivindicações da categoria, as condições de trabalho às quais estamos submetidos, e que eles vejam bem em que padrão que a empresa está operando hoje”, apontou o diretor sindical.

Conforme informações divulgadas pelo próprio TST em seu portal na internet, no dissídio coletivo, a ECT pede a declaração da abusividade da greve. O Tribunal discutirá, entre vários pontos, as cláusulas econômicas a serem aplicadas entre empresa e funcionários, como o índice de reajuste a ser aplicado aos salários da empresa, valores de vale-alimentação, entre outros benefícios. O julgamento será transmitido ao vivo pelo site do TST e também pelo canal do Tribunal no youtube.

Desde o início da paralisação, milhares de correspondências estão ‘encalhadas’ no setor de distribuição dos Correios em Dourados. A direção sindical dos trabalhadores chegou a apontar um montante de mais de 300 mil, número que foi questionado pela ECT, que chegou a realizar um mutirão deslocando funcionários da capital para a cidade com o objetivo de tentar amenizar o impacto da greve.

Os trabalhadores (carteiros e atendentes) reivindicam reposição da inflação em 7,13%; reajuste salarial de pelo menos 15%; incorporação no salário base (que atualmente é de R$ 1.004 por 40 horas semanais) de R$ 200, entre outros. Apenas funcionários do setor administrativo não aderiram a paralisação. A última grande greve realizada por trabalhadores dos Correios em Dourados durou 28 dias, em 2011, segundo informado pelo sindicato.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo