Maracaju 100 anos
ECONOMIA

Mato Grosso do Sul tem 62% da safra de soja comercializada

Produtores de Mato Grosso do Sul já venderam ou estocaram para venda 3,6 milhões de toneladas de soja.

 

A quantidade representa 62,12% da produção do Estado na safra 2013/14, estimada em 5,948 milhões de toneladas. O balanço é da Granos Corretora, de Campo Grande, com números da última semana.

 

A saca de 60 kg do grão é comercializada a R$ 63, em média, com tendência de queda. A antecipada saiu para cerca de R$ 53, nas últimas semanas.

 

Em agosto, a cotação para contratos futuros deve alcançar R$ 58, estima o analista da Famasul, Leonardo Carlotto.

 

Os produtores costumam negociar 30% da soja antecipadamente para liberar espaço nos armazéns e aproveitar boas ofertas de negócio, explica o analista da Granos, Carlos Davalo.

 

Os preços, segundo ele, sofrem o impacto direto da queda do dólar da última semana, causada, principalmente, pela enxurrada de dinheiro externo para compra de ações da Petrobras.

 

“Isso culminou em um recuou forte, já que o dólar tem peso decisivo na formação do preço da soja”, detalha Davalo. Ontem, a cotação chegou a R$ 61,50, para compra à vista.

 

Grão ardido

 

O excesso de chuva atrasou a colheita em dez dias. Em pontos isolados do Estado, como em São Gabriel, produtores colheram grãos ardidos, segundo o analista da Famasul, Leonardo Carlotto.

 

Assim são chamados aqueles que apodrecem no pé pela demora na colheita. A situação é ‘pontual’, assegura o analista, e não terá impacto na qualidade da soja sul-mato-grossense.

 

A qualidade dos grãos é verificada na entrega ao comprador. Quando a soja é vendida antecipadamente, o produtor pode ter a diferença de qualidade descontada do valor estabelecido em contrato.

 

Sojicultores do Norte de Mato Grosso do Sul comprometeram 61% da produção, que deve fechar em 1,72 milhão de hectares, em 532,8 mil hectares. A colheita registrada na região é de 97,8%.

 

No sul do Estado, a colheita chega a 99%. Estão comprometidos 62,5% da produção de 4,2 milhões de toneladas. A venda antecipada do milho safrinha está em 13%, segundo a Granos Corretora.

 

Pelo menos 99,4% da área de 1,3 milhão de hectares foi plantada em MS. O grão será colhido a partir de agosto. Ele foi negociado a R$ 23, ontem, em Campo Grande.

 

A Famasul espera produção de 7,3 milhões de toneladas, quantidade 6,4% menor que a do ano passado. “A última safra foi atípica, muito boa, além do normal”.

 

A média histórica do Estado é de cerca de 80 sacas por hectare. A estimativa da Granos é de 6,8 milhões de toneladas.

 

A previsão de queda é conservadora, reconhece o analista da Famasul, Leonardo Carlotto, porque não se sabe como o clima vai se comportar até o segundo semestre.

 

Os produtores plantaram ‘na janela’ até 10 de março para minimizar os riscos de ter a lavoura afetada pelas geadas, diz Carlos Davalo, da Granos. A previsão é de inverno rigoroso e com chuva. (Correio do Estado)

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo