ARTIGOSDESTAQUES

Será que é alergia?

Comunicação UNIMED

Se tem um assunto que atinge grande parte da população e é unânime no quesito incômodo, são as alergias. Uma mudança no tempo, a limpeza em algum local empoeirado, mexer em documentos antigos no trabalho e tantas outras situações são motivo para causar diversos sintomas que impactam no dia a dia de alguém.  

Muitas pessoas acreditam que os principais causadores de alergias, como a de pele, são os alimentos. Porém, existem outros fatores desencadeantes,  como os medicamentos e as doenças autoimunes. Consultar um especialista é a principal forma de identificar com exatidão o problema que acomete seu corpo.

Como são diversas as dúvidas e questionamentos, o Dr. Antonio Carlos Bilo, que é alergista e imunologista da Unimed Campo Grande, traz muita informação para esclarecer qualquer pergunta.  

O que são alergias e quais os tipos? 

Dr. Bilo 

As alergias são respostas exageradas do organismo frente a um estimulo normal para maioria das pessoas. Um exemplo é quem desencadeia uma crise de rinite, espirrando e coçando o nariz, quando se expõe a coisas guardadas há muito tempo (ácaros da poeira genética). O ácaro, inclusive, é o maior fator desencadeante das alergias respiratórias.  

Boa parte das alergias tem, realmente, um componente genético, e isso pode surgir em qualquer época da vida.   

Há ainda diversos tipos de alergia, sendo as de pele (cutâneas) uma delas. Temos de exemplo, sobre este assunto, a urticária, que coçam muito, tem causas diversas e aparecem, desaparecem e reaparecem, e precisam de investigação.  

**Um ponto necessário a ser levantado é que alergia de pele não é sinônimo de alergia alimentar. Pode até ser que um alimento cause alergia, mas tem outras causas muito importantes, como medicamentos e doenças autoimunes, por exemplo.  

Já as alergias de contato ocorrem com a reação no local de contato, como o próprio nome sugere. Tem como principal causador o sulfato de níquel, que são brincos, anéis, pulseiras, bijuterias, entre outros. A tintura de cabelo, látex, sabões, detergentes e sapatos de couro também podem causar reações.  

Época do ano 

Dr. Bilo 

A época do ano que tem muita mudança brusca de temperatura é a pior para o alérgico. E isso acontece muito no outono e inverno, sem falar que nossa região, centro-oeste, é diferente, pois essas duas estações do ano que mencionei se estendem com as alterações abruptas.   

Alergia X Gripe X Rinite 

Dr. Bilo 

– Alergias – Apresentam sintomas de coriza, espirros, obstrução nasal, coceira no nariz e, geralmente, não acarretam em febre. 

– Gripe – Gera um estado febril e é comum produzir uma secreção de cor esverdeada ou amarelada. Há dores de cabeça e tem o curso curto (uma semana).  

– Rinite – Caracteriza-se por espirros repetidos, coriza, coceira no nariz, mucosa nasal de cor transparente, que não indica uma infecção viral.  

Há uma confusão muito grande acerca deste assunto. A doença alérgica mais comum, que afeta cerca de 1/3 da humanidade, é a rinite alérgica, que os pacientes costumam chamar de alergia ou sinusite.   

Diagnóstico 

Dr. Bilo 

São realizados a partir de diversos testes, mas, antes disso, é muito importante saber o histórico do paciente, que é feito detalhadamente, pois é neste caminho que temos a ideia do que ele tem e por que tem.  

Prevenção. Tem como? 

Dr. Bilo 

Sim! Na própria casa tem como fazer um controle ambiental, com um quarto sem cortinas, bichos de pelúcia, almofadas e tapetes. Colocando essas pequenas ações em prática, vemos melhoras grandes na vida do alérgico, por exemplo. O sol, nestes casos respiratórios, o sol e a água são inimigos naturais do ácaro. Ventilação também é essencial.  

Animais de estimação 

Dr. Bilo 

É uma dificuldade enorme, pois fazem parte da vida das pessoas. Então, nestes casos, um banho semanal no cachorro já ajuda muito. Precisa adequar-se às situações para conviver tranquilamente com o animal.  

Vacinas ajudam? 

Dr. Bilo 

Existem vacinas para auxiliar nas alergias, e elas têm resultados excelentes, pois é alterada a história natural da doença. O tratamento, nestes casos, tem duração de três a cinco anos.  

Para saber mais sobre o assunto acompanhe SERÁ QUE É ALERGIA? no podcast Cuidar de Você, da Unimed Campo Grande. Basta acessar https://bit.ly/PodcastCuidardeVoce. 

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo