Irrigação por gotejamento permite mapeamento de aumento de produtividade em canaviais

Daniel Pedroso, Especialista Agronômico da Netafim.

Mariana Cremasco

Após a grande seca que ocorreu no ano de 2014, o Brasil, principalmente a região centro sul, vem sofrendo, em 2021, uma grande crise de escassez hídrica, talvez a maior crise da história do país. Esse acontecimento fez com que os olhos do setor voltassem para a necessidade de se irrigar os canaviais.

No entanto, ainda pairam muitas dúvidas no ar. Qual sistema utilizar? É viável economicamente? Qual será o aumento de produtividade que terei em minha região?

Visando esclarecer esses questionamentos, a Netafim, empresa líder mundial e pioneira em irrigação por gotejamento, em conjunto com Usinas parceiras realizou um censo, que mostra qual o aumento de produtividade, corte a corte, que os irrigantes por gotejamento podem atingir, em média, quando comparados às produtividades dos canaviais de sequeiro.

Divididas em macros regiões, os dados de acréscimo de produtividade são apresentados em percentagem e divididos corte a corte (até o quinto corte, para efeitos comparativos) nos estados de São Paulo e Minas Gerais.

O aumento de produtividade pode atingir valores de 45 a 98% dependendo da região onde se encontra o canavial. Logicamente, esses valores aumentam quanto maior o déficit hídrico da região. De qualquer forma os dados médios da região centro sul são espetaculares e os dados demonstram que a irrigação localizada por gotejamento pode aumentar a produtividade em até 77%. Além disso, a implantação da tecnologia apresenta outras vantagens como estabilização da produção, aumento da longevidade, redução dos custos de produção (R$/ton) e redução da necessidade de arrendamento.

Desde a descoberta da agricultura pelas civilizações antigas, a irrigação fez-se parte essencial desse sistema produtivo, sendo o principal insumo para a obtenção dos alimentos. No entanto, em algum momento dessa caminhada houve uma separação entre agricultura e a irrigação, onde os avanços tecnológicos agrícolas se voltaram a desenvolver técnicas que preconizavam a convivência com o déficit hídrico. Por anos, a agricultura se desenvolveu dessa maneira, mas agora essa separação vem cobrando seus resultados e é preciso que os produtores se atualizem e utilizem as boas tecnologias disponíveis a favor da produtividade.

Ocupando uma área de aproximadamente 10 milhões de hectares, a cana-de-açúcar é uma das principais culturas agrícolas brasileiras. Proporcionando ao país o título de maior produtor e exportador de açúcar do mundo.